Escoteiros de Ibirama lotam a Câmara de Vereadores

Mais Imagens



Os trabalhos do Grupo de Escoteiros Guardiões das Águas foi apresentado aos vereadores e comunidade na noite desta segunda-feira, 29, na Tribuna Cultural da Câmara Municipal de Ibirama.

Na reunião, os diretores Marcio de Oliveira e Adilson Vahldick historiaram a recriação de um grupo de escoteiros em Ibirama em fevereiro deste ano, depois que o Grupo Katanghara foi extinto em 2008. Com o apoio da UDESC – que está cedendo espaço como sede para a realização  das atividades – os integrantes do Guardiões das águas atuam como entidade de importância fundamental na formação cidadã de crianças, adolescentes e jovens, baseado na Lei Escoteira, onde aprendem os valores em todas as suas dimensões: moral, espiritual, físico, ecológico, afetivo e social.

“Priorizamos o trabalho ao ar livre, fazendo com que o jovem assuma seu próprio desenvolvimento, com o compromisso da educação permanente, tornando exemplo de fraternidade, lealdade, responsabilidade, respeito e disciplina”, destacou Márcio de Oliveira.

Na sessão, os vereadores recepcionaram o Projeto de Lei 01/17 que declara o Grupo de Escoteiros Guardiões das Águas como de utilidade pública. Desta forma, o grupo habilita-se a receber recursos financeiros, além da maior prestígio comunitário já que não tem fins lucrativos.

Na reunião, os diretores Marcio de Oliveira e Adilson Vahldick falaram na Tribuna Cultural, destacando a importância do escotismo como entidade de importância fundamental na formação cidadã de crianças, adolescentes e jovens, baseado na Lei Escoteira, onde aprendem os valores em todas as suas dimensões: moral, espiritual, físico, ecológico, afetivo e social.

Atualmente, o grupo conta com 60 integrantes com idade entre 6 anos e meio e 21 anos. E ainda dispõe de outras 30 vagas em alguns setores de idades para as famílias interessadas. As atividades acontecem aos sábados, das 14 às 17 horas, com acampamentos, jornadas ecológicas, visitas a parques, dentre outras.

Adilson destacou que o grupo,  com apenas 3 meses de atividade, já está sendo elogiado pelos pais dos escoteiros, que notaram mudanças positivas no comportamento dos filhos, desde pequenas coisas como o trabalho da família na preparação das refeições até a valorização do conforto de uma cama ou de um sofá.