Defesa civil expõe trabalho de mapeamento de risco do município na Câmara

Mais Imagens



IBIRAMA – O coordenador da Defesa  Civil de Ibirama, Fernando Jost, ocupou a tribuna cultural da Câmara Municipal de Ibirama nesta segunda-feira, 20, para destacar sobre o Plano Emergencial para Reconhecimento de Áreas de Risco no município de Ibirama, cujo mapeamento está sendo feito em parceria com o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), além do auxílio da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), campus de Ibirama.

“Nosso objetivo maior é montar um plano eficaz de gerenciamento no que refere-se a movimentação de massa (encostas), enchente e inundação”, destacou Fernando.  Ele disse que nas últimas décadas, Ibirama não tem sofrido com enchentes, mas que em muitos momentos, o município registra índices maior de chuvas do que a média esperada para o período o que ocasiona alagamentos e quedas de encostas.

Disse ainda que a Defesa Civil tem vistoriado os imóveis e alertado os moradores de áreas de risco, como locais próximos a cortes irregulares de terra. Com a chuva, é comum ocorrer deslizamento e queda de barranco nessas áreas. “Para garantir a segurança da população, a Defesa Civil tem intensificado os trabalhos pelos bairros, fazendo alertas e prestando os esclarecimentos necessários”, assinalou.

De acordo com um levantamento inicial, com quase todo o município mapeado, é possível afirmar que,  pelo menos, 30% dos bairros do município apresentam ocorrências de alagamentos, deslizamento e cortes irregulares de terra. A Defesa Civil pede atenção redobrada às famílias que moram em áreas íngremes e às margens dos rios.

Outro problema é a falta de projetos residênciais bem feitos, levando em conta a topografia e geologia do terreno. “Muitos dos contratempos com construções ocorrem quando a obra não é orientada, não tem um responsável técnico, como um engenheiro civil. O ideal é buscar orientação”, afirmou.

Jost disse que o mapeamento e levantamento das áreas de risco tem o objetivo maior de definir políticas de prevenção a desastres no município, mas lamentou a falta de engajamento da comunidade.

Os vereadores aproveitaram para fazer seus esclarecimentos e observações e destacaram o trabalho realizado pela Defesa  Civil no município, como uma das mais atuantes no Alto Vale.

Serviço

Caso algo de anormal seja registrado durante ou após fortes chuvas, a orientação é abandonar o local imediatamente e acionar a Defesa Civil pelo telefone 199, o Corpo de Bombeiros pelo 193, ou a Polícia Militar pelo 190. Nesses casos, as famílias devem procurar abrigo na casa de amigos ou parentes.